I _ Histórico da construção da LINHA 4 DO METRO 

 

 

No início da década de 1930, uma comissão especial foi criada analisar a situação dos transportes coletivos no então Distrito Federal.Em julho de 1932, um artigo de 4 paginas foi publicado na Revista Municipal de Engenharia, no qual a comissão demonstra como a eletrificação das linhas de bonde beneficiou o transporte para a regiões mais afastadas da área central da cidade, propondo a construção de uma linha principal de metrô, com 20 estações de Botafogo ao Maracanã, passando pelo Centro [Linha 1]. Nas décadas seguintes, outros planos, como o Plano Metroviário da Cia. Carris de Bondes – Light em 1947, realizado em 1968, por uma equipe de especialistas alemães, com as obras começando na década de 1970.

Screen Shot 2019-09-09 at 11.54.58 AM.pn

Desde 2000 as associações de bairro do Rio de Janeiro lutam para a construção Linha 4 do Metro, que ligaria a Barra à Botafogo, passando por São Conrado, Gávea, Jardim Botânico e Humaitá. O traçado em construção prevê a ligação da Barra à Linha 1, através das estações Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Leblon e NS da Paz.

 

Tendo em vista que a Linha 1 do Metrô, sem o acréscimo dos usuários que das novas estações encontra-se saturada, apostamos  na conclusão da Linha 4, a partir da estação Gávea, em direção à Tijuca - Uruguai e na direção do  Jardim Botânico, Humaitá, Laranjeiras e Carioca. A Estação Gávea já estava a prevista no planejamento original do metrô, pois ali seria a integração entre as Linhas 1 e 4, conforme o mapa:

Screen Shot 2019-09-09 at 11.58.00 AM.pn

De acordo com os técnicos, para tanto é imprescindível a construção da Estação Gávea em dois níveis garantindo a futura expansão da Linha 4 nas direções da Tijuca e do Centro.

 

No dia 22 de janeiro de 2013 a Secretaria da Casa Civil do Estado informou que a Estação da Gávea será construída em dois níveis, com estações paralelas possibilitando futura levar ligação entre Linha 1 para Uruguai e  Linha 4 rumo ao Centro e, em m abril de 2014, o governo apresentou o projeto de linha 5 para interligar a Linha 4, na Estação Gávea as linha 1 e 2 na Carioca, a partir das seguintes estações:  Gávea (Transferência com a Linha 4); Jardim Botânico, Largo dos Leões, Dona Marta, Santa Teresa, e Carioca (Já construída e com transferência das linhas 1 e 2).

Screen Shot 2019-09-09 at 12.01.12 PM.pn
Screen Shot 2019-09-09 at 12.01.59 PM.pn
Screen Shot 2019-09-09 at 12.01.40 PM.pn

Acima, ilustração do projeto da estação Gávea, já com as duas estações paralelas que possibilitam no futuro levar a Linha 1 para Uruguai e a Linha 4 rumo ao Centro.

As intervenções para a construção da Linha 4 no bairro : 

1 ) Canteiro de obras: o campo de futebol da PUC,  para escavação do túnel de serviço (para sistema de ventilação, saída de emergência e  escoamento dos detritos da escavação do túneis de via, por onde passarão os trens do Metrô (São Conrado – Gávea).

 

2) Estação Gávea ocupará parte do estacionamento da PUC (inicio das obras no 2o  semestre de 2013) com 2 acessos: na Rua Padre Leonel Franca, em frente à PUC, e na Marquês de São Vicente, em frente ao Gávea Trade Center.

 

3) implantação de estacionamento em terreno a ser desapropriado na Marquês de São Vicente para substituição temporária de parte do estacionamento da PUC. Durante as obras os acessos à PUC e ao seu estacionamento serão preservados.

 

4) Instalação de centro de atendimento do Metrô na Travessa Madre Jacinta

 

5) Construção de ponte sobre o Rio Rainha no final da Travessa Madre Jacinta.

 

 

Screen Shot 2019-09-09 at 12.02.40 PM.pn

 

Em  30 de abril de 2011,  o Ministério Público Estadual apurou as irregularidades no processo decisório para alteração do traçado original da Linha 4 do metrô, dando inicio à Ação Civil Pública n. 0386458-56.2011.8.19.0001 .

 

Em 31 de março de 2011,  foi entregue abaixo- assinado da mobilização de  18 associações de  moradores do  Rio para a expansão do metrô do Rio que respeite o seguinte traçado:

  1. Estação Gávea construída até dezembro de 2015, em dois níveis, para futura expansão da Linha 4 nos sentidos Uruguai (possibilitando a conclusão do anel circular da Linha 1 - em laranja no mapa) e Carioca (com a construção das estações do Jardim Botânico, Humaitá, Laranjeiras e Carioca);

  2. O traçado da Linha 4 passando pela Gávea, sem desvios de São Conrado diretamente para o Leblon;

  3. Extensão da Linha 4 até a Alvorada por Metro e não pelo BRT.

        

Screen Shot 2019-09-09 at 12.03.52 PM.pn
Screen Shot 2019-09-09 at 12.02.54 PM.pn

Ricardo Lafayette, Joaquim Bocaiuva(presidente da AMALGA), vereadora Andrea Gouveia Vieira, promotor Carlos  Frederico Saturnino e Licínio Rogério [21/01/2011]

Screen Shot 2019-09-09 at 12.03.23 PM.pn

O Estado entregou a Linha 4 para as Olimpíadas 2016, sem concluir a construção da  Estação Gávea.

Em 5 de setembro de 2019, o Governador Witzel informa pretende aterrar a Estação Gávea uma vez que não há qualquer previsão de obras para sua conclusão .https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/09/05/witzel-diz-que-vai-aterrar-estacao-da-gavea-da-linha-4-do-metro-do-rio.ghtml

 

A PUC-Rio, por outro lado, demonstrou surpresa uma vez que havia assinado, no dia 5 de julho 2019,  Termo de Cooperação Técnica com a Secretaria estadual de Transportes para elaborar o Diagnóstico Geotécnico e Proposição de Eventuais Medidas de Curto Prazo sobre as obras da estação de metrô do bairro. O prazo para a conclusão do estudo é de três meses. O documento, que está sendo elaborado por professores da universidade com a colaboração de técnicos da Riotrilhos, está em fase final. Porém, ainda não é possível dar previsões de custos das possíveis soluções que podem ser adotadas.

Em 9 de setembro de 2019,  a Secretaria estadual de Transportes  informa que em 30 dias vai comunicar o destino da  Estacão Gávea do Metro.  Um estudo feito pelo Departamento da Engenharia Civil da PUC Rio será apresentado na sexta-feira para a Secretaria, com as possíveis soluções e os respectivos custos . Até lá, o futuro do tatuzão segue incerto Deputados estaduais da Frente Parlamentar em Defesa da Linha 4 defendem o uso de recursos da Lava-Jato para viabilizar a continuidade das obras.

Setrans ressalta que é necessário superar questões jurídicas, uma vez o MPRJ obteve liminar que impede o Estado de efetuar pagamento ao consórcio responsável pelas obras da Linha 4, bem como a definição de novos preços unitários para serviços e obras metroviárias. 

A AMALGA e demais associações de moradores apoiam o abaixo assinado para que seja concluida a Estção Gávea do Metro: Abaixo Assinado Estação Gávea

70683248_2569162333141135_84142185335037